quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Compartilha aí




Dario Franco


Estava carente e sabia que estava muito carente. As suas postagens na rede já não recebiam curtidas nem compartilhamentos. E se recebiam eram parcos, pálidos e distantes do surpreendente interesse ou da instantânea admiração que ele esperava despertassem suas intervenções  nos 2.413 amigos da sua conta.

 De vinte compartilhamentos diários a média caiu para três, para dois até zerar.

 Esperando uma reação retumbante postou: Amo minha mãe. Quem ama a sua mãe compartilha. Só o namorado da mãe fez um compartilhamento dúbio. Nada mais. E não era filho único.

 No dia nove último ele postou: Se você acha que hoje é dia de agradecer a Jesus compartilha aí. Inútil o apelo ou a apelação. Dois dias depois ninguém sequer curtira, muito menos compartilhara.

Estava desiludido. E sabia que estava muito desiludido com os amigos. Não pensou em suicídio, mas postou em negrito e caixa alta no seu “status” uma frase que ele mesmo criou com relativa dificuldade, mas com forte apelo impactante: NÃO VALE A PENA VIVER. Achou um pensamento profundo e avassalador. Contudo, com o intuito de despertar o interesse dos cultos, atribui a autoria da pérola literária a pobre Clarice Lispector. José Saramago e Drumond de Andrade escaparam dessa.

Ficou feliz quando viu o sinal vermelho no ícone da notificação: “ Lidiane comentou seu status”. Pressuroso abriu o link e leu o comentário da ex-mulher: kkkkkk.
Postar um comentário