terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

O que podem fazer graduados e graduandos?






               
                

Ontem eu perguntei, aqui na minha página no Facebook, onde estão os graduados e universitários de Baía Formosa-RN.
Edirle Nascimento e Kilma Soares se apresentaram.
Edirle migrou para o Recife-PE e Kilma , graduada em Ciências Biológicas, está desempregada em Baía Formosa.
Muito obrigado pela leitura e pelos comentários ao texto.
Entre tantos aspectos que o tema sugere, como mercado de trabalho, por exemplo, quero, neste artigo, explorar dois pontos:
·       como a administração pública municipal tem tratado a questão da formação superior dos seus munícipes ao longo de cinquenta e nove anos; e
·       qual tem sido a contribuição dos graduados na formação do pensamento político dos seus conterrâneos.
A administração pública
         A Prefeitura não tem dados estatísticos sobre o número de pessoas diplomadas pelas universidades ou que estão cursando um curso de graduação.
Isso pode dizer pouco sobre o como se preocupa o Município com a formação dos seus quadros.
Entretanto, quando se constata que ao longo de cinquenta e nove anos de emancipação política nenhuma ação, pontual sequer, foi traçada com vistas à capacitação da sua maior riqueza, o recurso humano, percebe-se que esta não é uma questão importante para a administração pública municipal em todos os tempos.
É conveniente incluir a formação superior do seu recurso humano na planificação do Município?
A sociedade formosense está interessada e atenta a essa questão?

Sobre a contribuição dos graduados e dos graduandos.
        
         A história e a ciência política debitam à conta dos intelectuais a formulação do pensamento político de seus povos.
         Para Baía Formosa, isso não é diferente. A Universidade dá ao graduado os instrumentos intelectuais que embasarão a análise da realidade e que impulsionarão a formulação da filosofia do seu povo.
         Qual é o pensamento político que norteia os formosenses desde a sua emancipação como município?
         E qual rota a análise dessa história aponta como caminho de progresso e de grandeza do seu povo?
São quatro perguntas  que os universitários e graduados precisam examinar para discutir uma política de educação para o Município de Baía Formosa-RN.

Baía Formosa, 27 de Fevereiro de 2018.

Dario Franco

 






                 
Postar um comentário