sexta-feira, 9 de março de 2018

A maré enche ou vaza?







A sessão da última terça-feira, 6/3, da Câmara de Vereadores de Baía Formosa- RN começou debaixo de muita tensão. Também pudera!
Durante a semana passada inteira acusaram levianamente os vereadores da oposição de atrapalharem a administração municipal, e especialmente a área da educação, porque se recusaram a discutir e aprovar, numa única sessão, o PL que pedia autorização da Câmara para um processo seletivo, passando por cima do  que ordena o Regimento Interno da Casa.
Uma acusação leviana, repito, e caluniosa.
Coisa de gente irresponsável e sem compromisso público.
Botar o povo contra a Câmara não é coisa de democracia.
Os vereadores do PT Bob Bugueiro e Chico de Josa e Alan Jhones e Richards Pereira do PSD convocaram até pelo Facebook o que chamam de "soldadinhos", para tumultuar e agitar o ambiente na Casa do Povo. E, rancorosos, esses torcedores ocuparam toda a assistência.
O Presidente Airton Tanoeiro-PSD, já na abertura dos trabalhos, cuidou de apaziguar os "massa de manobra".
Depois o vereador Róbson Nobre-PSDB , visivelmente tenso, desarmou os ânimos e garantiu, não uma discussão sobre o PL, que era o que se esperava, mas a aprovação por 9 x 0, inclusive do requerimento que pedia urgência no trâmite da matéria enviada pelo prefeito.
Onde discutiram a matéria que deveria ser discutida no Plenário?
Bom! O vereador Róbson Nobre-PSDB  desarmou os ânimos e rendeu-se.  Entregou-se e ofereceu a rendição, sem resistência, dos seus pares.
Fiquei atordoado.
Atordoado, mas esperançoso no que ainda viria pela frente. Embora o final do filme já estivesse contado.
Mas, aí chegou a vez do vereador Toninho Madeiro-PROS.
Redobrei a atenção.
Foi quando ele abriu o verbo e exibiu para o Plenário atônito e para a assistência desorientada o artigo 6° do Projeto aprovado pela Câmara no ano passado. E o artigo autorizava renovar automaticamente os contratos dos professores por mais um ano.
Uau! Vou dormir feliz, pensei com os meus botões.
Ali, naquele momento, o ilustre homem público dissera claramente, para os presentes e para os da audiência da FM Pontal, que não havia nenhuma urgência em matéria nenhuma.
Nem para o requerimento e nem para o PL.
E fim de papo.
A urgência era só chicana da Administração Municipal.

Que urgente mesmo era acabar com as trapalhadas dos patetas da roda do prefeito.
Ainda assim, vejam bem, e pasmem, não estou floreando, o Plenário aprovou unanimemente, isso mesmo, 9x0, os inócuos requerimento e  PL.
De atordoado passei a nocauteado.
Mas, não rebentei o celular contra a parede.
Aproveito o ensejo e renovo a minha fé e a minha esperança na inteligência e na coragem desses jovens - Alex, Ayrton, Magno, Róbson e Toninho - construtores da história.
Mudando de assunto, a maré enche ou vaza?
Baía Formosa, 9 de Março de 2018.

Dario Franco 


Postar um comentário